Só nos dois

Uma das coisas que mais tenho saudade de antes de ter filhos é ter tempo livre para fazer o que eu quiser. Isso inclui tempo a sós com meu marido, sem ninguém interrompendo, mostrando um brinquedo a cada dois minutos ou fantasiando qualquer história. Não tenho família em SP e acabei me acostumando a fazer tudo com as crianças junto, raros são os momentos em que ficamos sozinhos e não tenho dúvidas de que isso prejudica um pouco a relação. A gente precisa de um pouco de paz, né? Os filhos são indiscutivelmente uma bênção na vida de um casal, mas antes de sermos pais, ainda somos um casal. E tento, no meio do brinquedos, dos gritos de “mããããe”, não me esquecer disso.

Os amigos sempre se oferecem para ajudar, para ficar com eles, sei que fariam com carinho como já fizeram algumas vezes, mas me sinto um pouco folgada em deixar meus filhos com alguém enquanto me divirto por aí. Bobeira, mas penso assim. A moça que trabalha aqui também já se disponibilizou a ficar uma noite quando precisasse, mas ainda não testei também.

Mas temos conseguido fazer isso quando vamos ao Rio, eles ficam com meu pai e minha madrasta e a gente sai para algum lugar. Não vou frequentemente ao Rio, mas sempre que estamos lá, isso se tornou uma rotina.

No último feriado saímos duas noites, uma fomos jantar num restaurante maravilhoso de bom e podemos desfrutar da comida e conversarmos sobre aquela experiência num lugar bacana. E no dia seguinte fomos num barzinho e conversamos tanto, tanto, tanto, como há muito tempo não fazíamos. E falamos quase nada sobre as crianças, falamos muito sobre nós dois, sobre o que a gente espera do futuro, éramos sós nós dois, inclusive como o principal tema da conversa. Era como se estivéssemos namorando há pouco tempo. Duas noites que nos fizeram lembrar e aproveitar o fato de que somos, antes de pais do Davi e da Fernanda, marido e mulher.

Vim com a sensação de que deveria tentar fazer isso mais vezes, isso parece até fácil, já que não faço nunca. Precisava me organizar e planejar melhor. E tentar! Cordão umbilical já foi cortado tem tempo, mas ainda não é tão simples para mim. Nem por ficar longe deles (uma noite eu consigo…..Rs), mas por ter que depender de alguém que em tese não tem nada a ver com isso. Sabe quando dizem, “quem pariu, que embale”? Por aí. Mas a vida por ser mais leve…Acho.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s