Disposta a amar

Outro dia, dei um estudo no meu grupo falando sobre 1 Co 13, que é um capítulo que Paulo fala sobre o amor. Muita gente conhece os primeiros versículos dessa passagem, pois foram usados numa música do Legião Urbana (“Ainda que eu falasse a língua dos homens, que eu falasse a língua dos anjos…), mas na verdade não são de autoria do Renato Russo. Sinto desapontá-los com essa informação.

E o estudo veio reforçar o que já me vem sendo ensinado em outros momentos, a gente tem que estar disposto a amar. Amar é uma ação e o agente da ação sou eu. Não é somente uma coisa fofinha, com corações vermelhos sobrevoando nossa cabeça (é isso também!), que brota instantaneamente, sendo nós passivos nesse processo. Temos que tomar a decisão de amar e agir com amor, independente de quem seja o próximo. Na minha opinião, isso é quase impossível em se tratando de alguns próximos chatérrimos que nos rodeiam. Mas a Bíblia não dá a opção de que, se o próximo for chato, estamos liberados de amá-los. Como tudo, faz sentido, porque se Deus fosse amar só aqueles que se encaixam no perfil de “legal” dEle, não ia sobrar ninguém.

Mas, mesmo quando o nosso próximo é amigo, irmão ou o amor da nossa vida, nos deparamos com situações difíceis. Situações em que as coisas não estão bem, parecem não fluir, só saem palavras duras, qualquer deslize se transforma num super problema, e da mesma forma, qualquer acerto fica escondido no meio da rotina mala que nos atropela.

Minha rotina tem sido pesada, por n motivos, e eu estava deixando-a ainda mais pesada por conta da maneira que eu estava encarando e tentando resolver meus problemas. Eles não sumiram, os problemas, só mudei a estratégia para conviver com eles.

Estratégia incialmente adotada: totalmente reativa, respostas rápidas e certeiras em machucar o outro (sou muito boa nisso), dedicação zero em fazer a minha parte, reclamando todos os dias, querendo discutir racionalmente todos os pontos.

Depois de conversar com algumas pessoas que, sem dúvidas, foram colocadas por Deus para me abençoar e sustentar, e lembrar de experiências anteriores, mudei a estratégia.

Nova Estratégia adotada: orar pelo assunto (Básico e não estava sendo feito! Que falha!), parar de discutir e apontar os problemas, ser mais sábia no falar ou no calar (traduzindo: desenvolver a capacidade de engolir sapo), demonstrar o quanto amo e dar o meu melhor. E aí, vai no nível de ações do tipo “ pesquisar receitas rápidas na internet”, com isso, consigo preparar jantar todos os dias.

Tem funcionado, acreditem. Sempre esqueço que esse método sempre funciona, embora ele dê mais trabalho pra mim, e talvez seja por esse motivo que nunca começo por ele. A rotina continua pesada, os n motivos continuam existindo, mas eles não podem ditar o ritmo. Difíicil demais ser mulher virtuosa, mas queria que quando encontrasse Deus e a gente estivesse vendo o filminho da minha vida, Ele me dissesse “Você tentou e algumas vezes conseguiu. Parabéns!”

2 comentários sobre “Disposta a amar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s